15 de dez de 2011

Por do sol


O oceano a minha frente, milhas para percorrer, mas quem tem pressa? Vou me sentar a margem dessa praia, já que o dia está caindo rapidamente nessa época do ano, faz frio mas não tem problema, eu me sinto quente. Nossa não consigo ver o fim disso tudo, apenas a linha do horizonte que é mais longe do que eu imagino. Não há ninguém aqui, só eu e as ondas, eu e o vento, eu e as areias. Fico pensando se os que estão do outro lado também devam pensar o mesmo a respeito dessa enorme distancia de água que nos separa de um continente ao outro. A vida acontece tão rápido que nem paro pra pensar, antes de me sentar aqui, como ela soa meio cinematográfica ou até mesmo estranha algumas vezes. Lembranças, o vazio, a solidão, o conforto, pensamento no futuro, ou só mesmo está ali e não querer ir embora.
Será que existiram oceanos nos próximos anos? O progresso caminha a passos galopantes, não sei se viverei até amanhã, ou até os próximos 80 anos. Meus filhos irão vivenciar isso, ou será coisa do passado?
As vidas compartilhadas nessas areias, só olhando o sol cair mais uma vez em meio o fim da linha do pedaço “plano” da terra, antigamente diziam que as pessoas morreriam se fosse de encontro com ela, isso soa engraçado hoje em dia e me faz ficar nostálgico, sinto falta do meu eu de 5 anos, quando visitou a praia pela primeira vez.É, boas lembranças.
Do romance que jurei nunca esquecer, que no fim acabou, mas não esqueci, dos amigos que estavam comigo, dos que já se foram, dos que permanecem aqui, em algum lugar desse enorme pedaço de terra. Doces lembranças, que com esses raios mornos de fim de tarde fazem meu rosto se sentir acolhido, despertando um sorriso meio que sem jeito, e um olhar desviado para algum lugar que não seja na direção do sol.
Está quase no fim, mas não queria ir, deveria existir algum botão de stop na tela da minha visão para congelar todas essas sensações, que me lembra muito clima de fim de ano, mas infelizmente, só posso congelar aquilo que já passou, e o que passou foi o sol mais uma vez se escondendo, e eu retornando ao caos que está a rotina da minha vida. Até mais, conversaremos em breve, já que sem sol, o dia não pode acontecer, e quando me faltar as forças novamente, virei e ficarei aqui, mais uma vez, em devaneios, nostalgia e o conforto do fim de tarde, junto as ondas, a areia e o sol.

14 de dez de 2011

Quero você de volta. Memorias embutidas numa caixinha invisivel


Nós somos tão lindos juntos, que eu poderia congelar esse momento para sempre na minha vida. Seu sorriso, sua cara de envergonhada, a sua voz, ah a sua voz, nunca me esquecerei desses momentos. Lembro de cada detalhe, daquela vida que pensei jamais ter algum dia, de encontrar alguém assim como você. Tantas noites passando com você, a dedicação e o esforço eram minhas motivações maiores, já que o objetivo foi sempre está perto de quem alegra seu coração.
Mas as coisas parecem diferentes, não sei o que é, acho que são as palavras, as atitudes, o que aconteceu? Cada dia parece que estamos nos distanciando, e brigas estão se tornando constantes. Socos infinitos parecem sempre vim em direção a esse coração, que uma vez abriu mão de seu orgulho pra se dedicar a um outro alguém, suspiros me vêem todo dia, pensamentos deliberados me assombram e o sinal da perda vem como uma paranóia incontável de sentimentos cada vez mais perturbadores, eu não quero te perder. Lutei tanto para está com você e logo no “fim” as coisas parecem diferentes, onde está aquela ligação tão forte?

Não sinto mais a felicidade de um bom dia, das mensagens que um dia eu não cheguei a gosta, mas que mudaram meus meses de uma forma que você não tem idéia. As palavras soam diferentes, como se fosse mais um amigo, ou alguém próximo, isso é até bom, mas e o sentimento daquela tão doce ligação? Não sei, andamos brigando muito ultimamente, por pequenas coisas, e algumas delas são minha culpa. Acho que te cobrei demais ou algo do tipo, ou soei exagerado, pode ser, na verdade eu já não mais sei, eu só sei, que sinto que você está ficando distante de mim, nas pequenas coisas, nos pequenos gestos, e isso me desespera, isso me desmotiva.

Aquele sentimento bom sabe? Aquele de que a pessoa está com você a todo instante, não só nas palavras, mas nos sentimentos, onde dividimos nossos anseios e tristezas, momentos da vida, pequenos e importantes, onde nos sentimos juntos.

Pode parecer meio exagerado, talvez, mas creio que não, nunca impliquei com coisas tão pequenas só por implicar, não gosto de brigar e te fazer sofrer, mas eu sinto que você aos poucos está se tornando alguém que não está caminhando junto a mim, forte não? É eu sei, mas talvez isso nem aconteça, mas o medo de acontecer é grande. Sim medo, sinto as vezes, não sou tão perfeito ou seguro ao ponto de não senti-lo e se sinto é por que me importo com você e vejo que as coisas não andam bem.

Tenho tantas coisas guardadas em minha mente que dizê-las todas de uma vez não farão sentido algum, alias, algo bate forte na minha cabeça e sussurra desesperadamente, volte a ser o que era antes, aquela que eu amei enloquecidamente, aquela que tirava meu sono todos os dias de felicidade e alegria, mesmo passando por problemas ou adversidades da vida, sinto falta mais uma vez, de você, não pelo tempo, mas sim unicamente de você, daquela que adivinhava o que acontecia comigo, aquela que me acordava para ir a aula, aquela que fazia todos os meus dias de luta e esforço valerem a pena, pela segunda vez, sinto falta daquela que um dia eu conheci, daquela que eu chamo todos os dias sem me cansar, do amor da minha vida, antes que em algum futuro, isso seja tarde demais. Eu só quero você de volta, original e autentica... eu só quero você de volta.

10 de dez de 2011

Religião, Ateus, Xenofobia, Nordeste. Apenas um "Diário"


O que faz Deus ser o que é?

O que faz você matar em nome de um salvador, que não precisa nenhum pouco disso?

Como se ama o seu semelhante, se no fim você sente vontade de matá-lo por possuir idéias contrarias a você?

As diferenças, não é o que nos torna humanos?

Há muito tempo venho esperando para poder escrever algo sobre isso, que nos últimos dias vem sendo bem freqüente eu ouvir falar. Redes sociais podem ser um viral intenso, criando polêmicas, aumentando o ódio, abrindo discussões, que no fim não levam a lugar nenhum e logo após, as pessoas irão esquecer e tudo voltará a ser como era. Cristãos batendo boca com ateus, ateus desrespeitando a fé dos cristãos, xenofobia contra nordestinos, nordestinos desejando a morte dos paulistas e todos aqueles que moram no sul e sudeste, levando a conversa no mesmo nível de ignorância que os que cometeram tal ato inicial. Sem contar as imensas brigas e até mortes de torcedores de times rivais, e por ai vai.

Começando inicialmente com um clichê bem batido, qual é a diferença entre ambos, se não apenas idéias contrarias ou estereótipos que não se aplicam a maioria da população? Penso eu, somente em minha opinião, que tudo isso é tão vazio e sem sentido. Quantas vezes já vi amigos meus me dizerem que foram descriminados por não acreditar em uma crença, por não compartilharem as mesmas idéias, ou simplesmente por não pertencerem a tal região e seus costumes serem estranhos , eu mesmo já passei por isso e olha que foi dentro do próprio nordeste.

As culturas são diferentes, o modo de pensar até que são ligeiramente parecidos em alguns pontos, mas por que isso se tornar tão agressivo? Xenofobia em qualquer lugar, independente de ser no Brasil é algo horrível para quem sofre, quem é brasileiro e vai para outro lugar atrás de um emprego, sabe como sofre, seja você paulista, nordestino ou amazonense.

Mas um ponto que me deixa bem pensativo, nem é tanto o lance da xenofobia, mas sim a questão religiosa, a briga eterna entre religiosos e ateus. Por que incomoda tanto assim, o outro não acreditar na sua fé? Por que dói tanto aceitar o fato que o outro “não tem Deus no coração”? Ele irá pro inferno por que não crê? Essas perguntas são as mais comuns, não querendo esticar os questionamentos para âmbitos mais complexos, eu penso que, parece que isso não afeta a idéia de Deus ou a fé propriamente dita, mas as próprias pessoas. A sensação que tenho é que isso fere tanto a pessoa que crê como se aquilo fosse direcionado a ela, e a primeira instancia é convencer o outro que Deus é o salvador. Lembro quando era da igreja e (ia a missa todos os domingos) uma passagem que o padre na hora da homilia citou: Não deixe a sua mão esquerda saber o que faz a sua mão direita, algo mais ou menos parecido com isso. Eu sei que ele quis dizer é que, se você quer ser um bom cristão, não precisa mostrar que faz tal coisas, ou age de tal forma, ou tenta converter um “pecador” que ele está errado e se não aceitar a “salvação” ele está condenado a padecer no inferno. Acho que foi uma das coisas mais sabias que já ouvi de um padre até hoje, apesar de ter ouvido tantas outras boas palavras. Mas isso se enquadra com os ateus também, você tem seus argumentos, suas visões, deveria ser bem mais esclarecido e entender que discutir assim gratuitamente não leva a nada, defender sua posição é interessante, mas lutar para pregar o ateísmo é o mesmo que agir como um cristão fanático.

Eu já disse a vocês leitores uma vez, que não sou religioso, sou Agnóstico. E toda essa discussão não leva a lugar nenhum. Esse post não tem a intenção de agradar ou dizer algo para alguém, é mais um desabafo e vontade de por isso de alguma forma nas palavras. Acredito que ser bom e fazer o que é melhor para o outro, independe de religião ou preceitos de alguma força maior, se você faz isso, sem ser preso ao medo de que pode ir ao inferno e faz de forma legitima, vejo como a verdadeira salvação, já que, ali, você realmente está sendo um ser humano de verdade, livre, consciente e legitimo, onde se existe um Deus, não há como ser mau visto, já que você demonstra o maior dom que ele possa ter te dado, o livre arbítrio.

Lapsos de Memoria, lapsos de inspiração

Estou aqui, frente ao papel e um cordel me veio do céu.

Olho para o lado, ah se foi, como foi, para onde viajou?

Esqueci, já não penso nisso, alias deu vontade de comer um misto.

Mordidas molhadas, faz pensar em comida, mas quem liga, outra sina me domina.

Corre, corre, antes que fuja de novo, o vento bate e olhar para janela me faz esquecer, por favor me mate!

Nada sai daqui não, nada, a não ser a caneta da minha mão, volto pro jogão.

Pensar em tudo novamente, ah isso parece ser legal, mas não seria tão formal? Ah já se foi, espera o próximo gritar um oi.

Musica acalma a alma, faz pensar, faz sentir, mas será que faz a força de vontade intervir e discutir com a preguiça?

Sinto que agora vai sair, nem que seja um pingo no "i", um sentido está querendo vir

Mas que nada, ele só quer graça, com a minha cara, ele assim acaba, de nada serve, no fim só vou achar graça.

Dormi cai bem, ali vem de tudo, mas no fundo, só me resta o mundo dentro do mundo e um gostoso sono profundo.

Boa noite idéias, me cansei de vocês, se escondam dentro mim, para que no fim, eu possa ir brincar em paz na casa do Joaquim.

29 de nov de 2011

Ligação

Hoje acordei meio desanimado, mas quem não acorda? Sei lá, as coisas não pareciam ter tanta graça assim, estava tudo tão chato, tudo tão sem interesse, acho que estou me cansando das pessoas. Estava em uma parada de ônibus, o sol rachava sobre minha cabeça e o calor era intenso, mas tudo tinha cara de inverno. Pensamentos repentinos me vinham à cabeça, e eles sempre chamavam o seu nome. Os prazeres eram secundários, a vida naquele instante era secundário, o meu corpo apenas sentia, como se estivesse preparado para próxima sinapse que viria a seguir, você parecia não está bem. Há muito distante, intocável como as nuvens que estão sobre mim, algo me dizia que você estava se sentindo mau. Algo me dizia, sem palavras e letras, no fim das entre linhas que eu precisava cuidar de você, que precisava de mim.

O ônibus chegou, em seguida viria um longo caminho até o destino determinado, que logo tratei de esquecer sua existência. Queria tanto você, queria enxugar suas lagrimas e te dá um forte abraço dizendo que está tudo bem, se precisar te dou meu outro ombro, onde podes chorar até todos os males sumirem do seu peito, ou simplesmente até cansar e dormir. Não sei o que acontece, mas sei que você parece está chorando, a minha lógica não consegue entender o por que deu saber disso, só sei que sinto. Incomodado eu estou, entediado bem mais, mas acima de tudo preocupado, por saber que algo aflige seu delicado coração. Não há canção que represente esse momento, não há trilha sonora, mas há um sentimento pulsando em minhas veias, dizendo sem cessar, que você precisa de mim, você precisa de ajuda. Meu coração aperta e algo intrínseco tenta descer pela minha garganta, a ansiedade sobe.

Olhar pela janela e tentar ver o seu rosto em cada traço semelhante, sentir você através das palavras que me dissera a alguns dias, tentando manter a calma no coração que clama por você, as vezes até de forma desesperada.

E como se o seu dom passasse pra mim, já que nunca tive isso antes, ou na verdade não seja nada disso. O meu coração bate por você, minha mente pensa em você, meu corpo reage por você, e ele tem certeza daquilo que levei tempo para entender, que na verdade não há o que entender, simplesmente temos uma ligação que supera qualquer coisa que tenha passado pelos meus caminhos nesse mundo chamado vida. Mal posso adivinhar o que me espera depois, mas seja o que for, estarei com você, de uma forma ou de outra, eu estarei com você. Um pouco do seu fardo, será o seu descanso, assim que eu o segurar um pouco, até que recupere o fôlego novamente, isso por que, nós temos um ao outro e nenhuma dor desse mundo irá nos separar.

8 de out de 2011

Segurança o amigo da distância

Foi algo que nunca esperei, foi algo que nunca sonhei
Eu quero viver sozinho, mas até quando eu consigo?

Eu caminhava bem, bem torto, mas caminhava, sem sua ausência se fazer presente dentro do meu covil de dor

Nunca esperei, entregar tanto assim, os meus preciosos momentos de afeto
Nunca aceitei, vê você partir e sempre dizendo até logo
O pior presente, o diferente estado de está e não está, como se aquilo fosse somente uma sala de estar.

Eu busquei seu nome nos diversos caminhos, tentando desesperadamente resgatar aquele alguém que parece não existir mais
Nunca é tarde, ou não quero que seja
Eu ainda estou vivo, vivo com a sua lembrança, mas até quando?

Seu reflexo no espelho e a minha maior sina, apesar de está bem ao meu lado
Ao lado, bem aqui, mas não está...

Reclamo ao seu corpo, mas ele parece só se defender, foi mais do que desejei

Foi algo que nunca sonhei, Foi algo que nunca desejei
Tentar ficar vivo, buscando e amargurando pensar em um dia dizer
Você está partindo para longe de mim, sem perceber, você se leva para longe, longe daquilo que um dia, você tanto lutou. O amor parece que se decepou.

3 de out de 2011

O garoto, o tempo e o momento.

17:59, horário um tanto quanto comum sem nenhum traço em especial, momento estável, em meio a um processo continuo. Em se tratando de tempo, bem, creio eu que é algo extremamente instigante como praticamente tudo gira em torno dele. Os gregos o chamavam de Cronos, meus amigos chamam de falta do que fazer, produtividade, organização ou apenas sentar e ver tudo isso passar de forma passiva. Esse mesmo ser, aparentemente invisível mas que é visto por todos, é um ser curioso no fim das contas. Oras, ele existe para todo mundo, mas não do mesmo jeito. Ele é universal, mas todos tem o seu.

Pensando nisso, eu me deparei observando coisas que fazem muito mais sentido acompanhadas desse grande tempo, que são os momentos. As vezes segundos são tão marcantes que ficam vivos por anos, ou uma vida inteira em determinada situação ou lugar passa como se não fosse um ínfimo de nano segundo. Por que é assim? Não pelo fato disso existir, mas por que esse mecanismo é tão intrigante, que faz passarmos por ocasiões assim? O que domina acima da natureza do tempo cronológico? Entre o individuo e o tal momento? O que é essa experiência tão única, não no âmbito mais obvio, mas no sentindo mais profundo desses acontecimentos? São perguntas que minha humilde razão não consegue chegar a nenhuma resposta ou respostas.

Mas um momento, pequeno que seja, parece se cristalizar dentro de você, como se fosse seu recanto de coisas nas quais você não gostaria que passasse de maneira nenhuma, não importando o que o outro tempo fez com elas com o decorrer dos anos. Alguns tem momentos de coisas banais, momentos de palavras ditas para não chocar, mas chocam, uma ação que fez você resignificar toda a sua existência. Existe também, aqueles que os destroem, apenas com um estalar ou tocar de um dedo. Estava lá, bonitinho, parado, guardado e seguro, até você abri espaço e alguém o tocá-lo. O engraçado de tudo isso, é que parece que esse cristal vira areia e se perde no próprio tempo, ou dando lugar um outro momento, que nem sempre é tão bom quanto o anterior. Por que pessoas fazem isso tantas vezes?

Eu já devo ter feito isso algumas vezes também, alias, estou condenado a esse destino, de ser humano sabe. Só que creio que tudo tem dois lados, ou vários caminhos, melhor dizendo, vários tempos. Hoje você é o maduro, amanhã é o infantil. Hoje é o que está por cima da situação, amanhã estará se lamentando por que não deu o devido valor ao momento que alguém lhe tanto ofereceu. Hoje você ganha, amanhã você perde.

18:21, e ainda me pego pensando nessa relação de tempo e momento, e incrível como cada vez mais fundo eu entro nesse reservatório de cristais, encontro cada coisa, cada coisa com gosto de saudade, outras de rancor, outras de felicidade, outras que quero esquecer mas não consigo, outras que parecem como se estivessem sido vividas hoje. E irônico como também coisas e pessoas tem o grande poder de modificá-las, tanto pro bem ou pro mau, depende de quanto você se abre pra alguém ou algo. Queria que as pessoas fossem menos frias no fim, parecem que todos estão com medo uns dos outros, sem razão as vezes, mas as vezes com razão. Sempre nesse sim, não e pode ser, as coisas se desdobram, sem ao menos se perguntarem o porque.

18:27, acho que já lembrei de mais, é o momento de viver outras coisas, caminhar nesse verdadeiro Deus de tudo, onde todos perecem, onde todos crescem e se constroem. Que venham mais cristais, tanto para o bem, quanto para o mau, no fim da vida, poderei apreciar todos eles e ter a certeza que eu estive por ai.

As areias... as vezes parecem tão finas, mas ao mesmo tempo tão densas, que no fim, são como o próprio tempo.

18 de set de 2011

Homens e seus carrascos

O que faz um homem sangrar?

O que faz um ser humano abrir mão daquilo que para ele é tão estimado a ponto de não receber nada em troca?

Egoísmo beira no declínio do mundo, apenas esperando o momento para transbordar

Emoção retraída, a ponto de estourar. Sonho despedaçado, o homem sangra.

Sacrificar a razão e obliterar a emoção, dualidades que teimamos em privilegiar uma ou outra, devido ao carrasco dominador que é essa sociedade. Mais traiçoeiro é, o tal do carrasco, por se deixar afetar por esse homem, lhe dando esperanças e apaziguando seu espírito, assim sendo, desnorteando e deturpando aquilo que melhor lhe convém no momento.

O que faz um homem sangrar?

Receber um tapa da vida sem poder revidar?

Ser traído pelo seu semelhante, ou a cobrança do carrasco?

O que faz um homem chorar?

O que faz um homem ser humano?

A Realidade é pesada demais para se levar a serio, por isso os anestésicos estão ai, a pílula da felicidade, o veneno doce da serpente. O desapego do fraco, o espelho superficial do forte.

O que faz o seu ser humano sangrar? O que faz o seu molde entrar em colapso?
O que faz você lutar por alguma coisa?

Só querem a felicidade, sem saber, ou enxergar, que ela pode ser algo idealizado por alguém. A contra ponto, ela realmente pode está na sua frente, mas você está ocupado demais tentando fugir desse carrasco, que não a enxerga bem ao seu lado, esperando só para te dizer um amigável e doce oi.

2 de set de 2011

Saudade

Saudade é um sentimento que não existe no inglês, pelo menos não como palavra. Saudade é aquilo que se sente quando o coração aperta, quando a necessidade de ter algo ou alguém próximo a você se torna intenso. Saudade, bate no peito, permeia a cabeça, aflige o coração, fere a alma, essa alma que pra sempre vai se lembrar, lembrar daquilo que foi bom para ela.

Olhar para algum lugar, até então comum, e ver o rosto daquele que você queria tão bem, ou antes mesmo de saber que era realmente especial, passar entre você como um flash de memórias guardadas dentro si, que você nunca ousou demonstrar,ou simplesmente, não quis pensar, para quem sabe, desvincular essa dor.

Saudade de não poder ter vivido o suficiente naquele momento, já que você só se dá conta um tempo depois. Saudade daquele que se foi, saudade daquele que se ama, saudade do momento em que a pessoa esteve vivo junto a você.

Saudade de quem nunca se viu, mas que o sentimento perpassa toda essa barreira, já que, o importante é sentir que se tem o amor e o carinho de quem você quer tão bem.

Saudades, saudade, sentir falta, tudo relacionado, tudo separado. Ausência do ser. Saudade da pessoa que está presente, só pelo simples conhecimento de que, uma hora, ela irá partir. Saudade antecipada, Saudade do amor querido, ou somente Saudade.

Saudade específica, aquela que você sente vontade de dizer ao mundo e principalmente a aquela pessoa, tudo o que for capaz de expressar naquele momento. Como agora:

Não está com você, é sentir a dor sem ser machucado, e viver sem está realizado. Não está ao seu lado no momento que você mais precisar, por que infelizmente eu estou longe, mas logo vou está perto. Vontade de ter poderes para que eu pudesse resolver todos os seus problemas, te ajudar em todas as dificuldades, fazer você levantar quando fosse cair. Me desculpe por todos os meus erros, inocentes e até conscientes, eu apenas tive medo de te perder. Lagrimas correm dentro da minha alma, que não permitem que venham para fora do corpo, por que elas são especiais demais para serem jorradas em vão, lagrimas que a alma guarda como forma de preservar e fortificar o sentimento por você. Você faz falta e como faz. Não te beijar, não te tocar, não sentir seu cheiro, não ouvir sua voz, mas sentir que você me ama, faz a inquietude aumentar, mas não fraquejar. Saudades de demonstrar meu amor, saudades de está com você, no fim eu sempre sinto saudades de você”


16 de ago de 2011

Então é isso?

Bem, hoje eu ouvi uma musica que particularmente acho muito linda, mas a considero triste, por causa da sua serenidade e calmaria. Então me fez querer escrever alguns versos em relação a musica em si. Segue os versos:

Então é isso? Tudo jogado ao vento, tudo deixado de lado

Então é isso? Você se vai sem ao menos dizer o porquê?

Não posso tirar meus olhos de você...Não posso tirar meus olhos de você

Então é isso? Tão curto mas tão marcante, tão brilhante mas tão inconstante

Então é isso?! Você não me deixou alternativas!, Você simplesmente... se foi.

Então é isso... Não posso tirar meus olhos e você, por não pode acreditar que tudo o que era grande para mim era só isso pra você

Um curto verso, para uma curta historia, mas uma longa lembrança... ainda não consigo tirar meus olhos de você...


Bem pra quem quiser ouvir a musica segue a baixo:


12 de ago de 2011

Personalidade

O que define uma personalidade? Bem, eu presumo que seja algo que esteja nas atitudes e jeitos que o individuo leva sua vida, mas será que é apenas isso?

Um comportamento, uma atitude, define de fato um ser?

Observar a vida e os acontecimentos ao nosso redor, nos ajuda a pensar em como cada coisa pode ganhar um rumo distinto, dá vários sentidos e interpretações desse fenômeno que nos distingue e nos engrandece diante dos outros seres vivos.

Nesse enorme e maleável emaranhado de fatos, percebesse que estamos ligados a coisas passadas de geração em geração, algo que também define o que uma personalidade possa ser, chamado cultura.

Vários povos e sociedades , possuem culturas diferentes, logo dando possibilidade a emergir determinados tipos de personalidades que em outras não seria possível. O individuo perpassa todo esse convívio dês de que nasce, portanto ele está sujeito a influência de seu meio que de maneira considerável irar definir como ele será e se comportará diante dessa sociedade. Mas a contra ponto, esse individuo não é um simples instrumento determinado pelo meio , cultura e coisas em que vive, mas sim o como esse tal ser lida com todos esse fenômenos, independente de seu meio. Uma personalidade tem algo há mais dentro de si, que se sobressai das influencias externas, algo que faz ele escolher e decidir sobre aquilo, ou simplesmente modificar a cultura e a sociedade atual. E cada ser expressa essa personalidade de uma forma única.

Assim sendo, e não se perdendo em pensamento, expressarei uma personalidade, um pouco do ser que é definido, julgado, tachado, normatizado, que possui um papel na sociedade, que a modifica, que acima de tudo, é um ser individual e de características únicas.

-Expressão-

Sabe aquela gota no pico da montanha, que cai em direção ao infinito se comparado ao seu tamanho, sem saber que vai se chocar com a terra em algum momento de sua ínfima existência? Bem, esse sou eu rumo ao choque e desmantelar da morte, onde me é a única certeza.
Todas essa palavras, todas essas crianças que sonham em ser alguém, baseadas no sentimento que outros homens lhe passaram no decorrer de sua criação, bem, sou eu também.

Contra minha cabeça e os outros eu tento ser aquilo que quis ser, quando você é uma dessas crianças, sentindo o amargo e quase que intrínseco gosto do julgamento da sociedade, até se enquadrar no que já está ali, de forma conversadora. Paradoxalmente ela também te incentiva a viver esse sonho.

-Emoção-

Nós estamos tão distantes, mas em te sentir, em belas canções, que levantam o sentimento que existe em mim de prosseguir. Subjetividade nem sempre é tão fácil de dissolver, se for vista com os olhos de um outro alguém, mas eu nunca quis, pelo menos agora, fazer com que entendesse o que digo, apenas quis passar para palavras, aquilo que tento faze você sentir também. A canção me guia até o rumo que acredito esteja próximo de deus, a musica é o meu conforto, minha infinita interpretação, meu lar existente fora de meus domínios.

- Lógica-

Regido por comportamentos, e formado por conhecimentos e influencias culturais de âmbito global. Possui pitadas de contra cultura, e valores undergrounds que tiveram atenção nos anos 60. Influenciado por aqueles que foram influenciados por esses anos. Psicologia, internet, cyber cultura, Tecnologia, pitadas de religião e filosofia, Descartes.

-Simplicidade-

Gosto das coisas diferentes, viver sentindo algum tipo de emoção, nem que seja tristeza. Incomodado com o mesmo de sempre, e gosto de sons mais agressivos que assustam os mais velhos. Ah podemos ser amigos?

Não se pode dizer tudo a partir das palavras escritas em um papel, mas um pouco que se pode, pode mostrar quem está atrás das letras e frases, que lhe foram pegas em um momento qualquer e quis coloca-las aqui. Isso tudo é um pouco do que uma personalidade tenta mostrar, ou simplesmente o que é dentro de si mesma.

4 de ago de 2011

Voltando.. Fase da crise dos 3 anos

Voltando depois de dois longos e proveitosos meses de férias, acabando de retornar as aulas, que por sinal é o motivo desse post, então segue o texto:

Conversei com uma amiga na faculdade, discutindo algo relacionado sobre uma tal de crise dos 20 anos que ela estava naquele momento passando. Se sentia triste, por que se imaginava ( quando era mais nova ) ter pelo menos um emprego, algum tipo de independência e ser “adulta”. Claro que tudo isso tinha um ponto mais em tom de descontração do que de uma realidade de fato, mas como todos nós sabemos, níveis de brincadeiras sempre querem dizer um pouco de verdade, e de fato, trazia uma. Engraçado por que eu também senti isso quando completei meus 20 anos, a quase 1 ano atrás xD( nossa como o tempo passa rápido), ela esperava ter algo durante esse período e no caso não conseguiu nada em meio esse tempo, nada no sentido do que ela realmente pensava em ter quando era mais nova, e eu também passei por isso. Acredito que muitas pessoas passam também, outros amigos meus também passaram, mas o interessante não é essa crise que me instigou a criar o post como o próprio nome já diz, mas sim a tal crise dos 3 anos.

Aproveitando o contexto, essa crise implicou em me questionar se é realmente esse o caminho que desejo pra minha vida, a repensar todas as minhas ações que eu tinha como certas e seguras, e ver até que ponto tudo isso vale a pena. Sim penso em sair da psicologia.

Relação com escolha errada, acho que não cabe com esse motivo, mas sim uma crise, um momento que me peguei pensando e vi, será que é realmente isso?

Levei tempo pra entender, se de fato, era isso mesmo que estava acontecendo, e sim, está. Pensar na satisfação, tempo investido, e outras coisas de mesma relevância é algo que está em constância durante esse tempo. Gosto da minha escolha enquanto atitude, que foi o que eu realmente quis naquele determinado momento da minha vida, não me arrependi, e não me castigo por isso. Estudar, pelo menos agora, esta me parecendo meio insuficiente, tem que ter algo a mais, não só de ideais vive um homem. Em um momento assim, você se sente confuso, perdido, e pensa que passou muito tempo em uma coisa que aparentemente não fez você chegar a lugar algum, no sentido prático da palavra. Isso me angustia.

Tive uma conversa muito importante com uma pessoa que realmente me disse coisas bastante significativas, que por sinal não poupou e nem amaciou a realidade para mim, e de fato, foi o melhor, apesar dela não me assustar tanto. Foram palavras bem ditas, e que serão pensadas com muito cuidado e atenção .

A solução meia que imediata que consegui ter é: estude mais, faça outra coisa para ver se desperta algum interesse, volte a fazer seus cursos. Ou seja, estude muito.

A outra coisa seria o ramo da fotografia, que me desperta um interesse inicial muito grande, mas ainda é cedo, muito cedo alias para definir alguma coisa.

Não sei se haverão muitos textos daqui por diante, mas não fechará , simplesmente diminuirão. Comentei até aqui em um post que explica algo relacionado a isso, caso se interessem em saber é só lê (Planos para o futuro a curto prazo.).
O post ficou longo, mas é que precisava escrever isso, tentei resumir o maximo que pude, e é isso.

See ya

12 de jun de 2011

Um adeus silencioso


Tudo começou como qualquer outra relação, como qualquer outro encontro entre duas pessoas, como uma amizade comum. O pouco de interesse era evidente, já que era apenas o começo, mas foi ganhando peso e tomando o desejo. Desejo de afinidade, um aparo inocente, um gesto sem malicia, um sentimento de preocupação.

Momentos vividos, que trazem a tona a complexidade e beleza dos curtos instantes em que se pode dizer que foi vivido, vivido em plenitude. Brincadeiras, discussões, alegrias e tristezas tudo da forma mais bem vista, da sensação mais inesquecível, da historia sem amparos de cinema, mas uma historia com cara de realidade. Ah o tempo, o ser que mais se aproxima daquilo que possa se chamar de Deus, aquele que ninguém foge, que ninguém engana, que ninguém controla, apenas se adapta a sua forma incorruptível, e em algum instante, todo esse âmbito passaria de algo mais intenso sem a intenção de que pudesse ser; um convite, uma entrada para se afogar, dentro da necessidade de cuidar, da vontade de proteger a quem se quer tão bem. Encostar a mão em sua cabeça, senti a importância que não apresentava nenhuma razão, surgir dentro daquele que não se esperava mais do que uma simples conhecida, fez bagunçar o que era racional e ativar aquele que não se doma facilmente, dentro daquele corpo que chamamos de humano, mas romantismo é para os fracos, para os que possuem ideais, para aqueles que são tomados, é muito mais cruel e estranho de se acostumar.

Novamente o tempo cumpre o seu horário e faz me recordar mais momentos, que apesar de curto espaço na linha temporal, foram muito significativos para a linha atemporal, aquele que eu sou meu único deus, a minha mente. Está disposto a pisar no orgulho que outrora impunha sua personalidade, é sinal que algo está caminhando para uma situação não tão boa, mas ajudar e querer o bem além do seu, é um grande passo, para aquele que não é altruísta por natureza.

Brigas, tormentos, angustias, devoções maculadas, mas sempre pensando em não fazer nenhum mal, mesmo acabando fazendo, sem querer. Matar o seu coração, só para que ela possa desenvolver o seu melhor ser, é isso que foi feito.

Uma amizade sem interesse, que encaminhou com muito sentimento, e é onde dou um adeus, que não sei se será para sempre, o adeus que fará o eu dentro de mim tentar partir, para que o outro eu possa cuidar de você e possa fazer aquilo que aquele cheio de emoções não fez, que é cuidar bem de você de um jeito que fosse, somente e exclusivamente, só amizade.

10 de jun de 2011

Planos para o futuro a curto prazo.

Bem, esse post não vai falar de nada relacionado a o que eu já escrevi, só quero compartilhar alguns pensamentos e vontades com aqueles que lêem esse blog.

As férias finalmente começaram pra mim e a vontade que eu tenho é de fazer muitas coisas, que pra ser sincero, não tem muita relação umas com as outras. A principio, comentando com uma amiga minha, iremos fazer uma cadeira optativa de fotografia. Eu realmente não entendi bem, por que não sabia que dava pra fazer cadeiras de fotografia em um curso de psicologia (noob), e acho que outro amigo também irá fazer. A fotografia sempre foi algo que me chamou muita atenção, mas quando era mais novo, e conseqüentemente mais tímido, evitava ficar perto da câmera por que não saia tão fotogênico, até hoje não saio mas... a gente supera assim como a timidez que ainda está em processo.
Outra coisa, eu estava pensando em fazer alguma academia. Aham, sei, não é algo que eu deveria escrever aqui, mas já que o blog é meu e eu falo do que vem na telha achei melhor mencionar (egocentrismo owns). Uma carteira de motorista também está vindo bem a calhar. Assim, eu poderia ter tirado a muito tempo, mas eu não vi necessidade, alias eu até andei meio revoltado com isso, só que, ao que tudo indica, a necessidade apareceu.

Pra falar a verdade, foi tudo um turbilhão de acontecimentos, que fizeram esse momento ser extremamente produtivo, do ponto de vista criativo, não só dos textos, já que eu não ando escrevendo muito, mas pra outras áreas da inteligência, que eu to tentando me deter por um tempo. Tudo isso, não quer dizer que eu não vá continuar escrevendo, tanto é pelo o que eu percebi alguns comentários e citações disseram que está ruim, ta fugindo do foco, que não é do meu feito escrever assim. Bem, eu apenas faço o que vem a cabeça, como o próprio titulo do blog diz, mas acho interessante esse tipo de comentários, já que eu não os tinha a tempos atrás e andava meio preocupado com isso.

Deixe me ver... ah, penso em dá inicio no curso de designer gráfico no próximo ano, com planos bem fortes sobre isso ( sim, eu sei, não tem nada a ver com psicologia). Tinha uns planos para o blog também, criar um novo layout, tentar esquecer a preguiça e estudar mais sobre linguagem de programação pra otimizar o template, fazer um outro formato de post também, que por enquanto, não vou comentar sobre o que seja.

Em resumo, é que ando por mudanças, e acho que essas mudanças vão implicar nos próximos textos, não sei se será pra melhor, mas aqui é sempre o lugar que eu possa fazer o que eu bem entender, de tentar, de errar, de criar algo, nem que seja pra mim mesmo de uma forma compartilhada. Se me deixarem, eu ainda citaria mais coisas que estão acontecendo, mas o post ta ficando extenso e não é esse o intuito.

Bem, agradeço a todos que lêem, que comentam e incentivam, tanto com criticas como motivações. Até

21 de mai de 2011

Persona,animus; Personalidade, animação - prototype


Apagar, recriar, modificar, manifestar.

Adaptar, reinserir, atuar.

Guerrear, vencer ou perder, recomeçar.

Assimilar, compreender, iniciar o ciclo novamente.

Programar, interiorizar, aceitar como verdade, agir.

Lembrar,pensar, sentir.

Convergir, interagir, ser.

Existir, interiormente, exteriorizar

Morrer externamente, sobreviver.

Morrer internamente, de fato, morrer.

Diferenciação, vivência, Pessoa.
Ponto final, após a vírgula da não existência?

Objetiva concreta, morte, Objetiva Psiquica, mistério.

Fim da interação, recomeçar o ciclo, ponto.

26 de abr de 2011

Um pensamento lido, um pensamento escrito.

Esta musica me faz lembra, tudo aquilo que um dia eu quis e não pude ter; é essa musica mesmo, aquela do tempo da minha fase de descobertas, a fase de conhecer o mundo, aquela fase onde tudo é bonito e interessante, onde não existe espaço para o velho. Da musica surge a personificação do desejo; aquela garota que fica sentada lá naquele canto e não dá nem bola para você. A musica que me faz entrar em um clima de filme acompanhado da minha própria trilha sonora, sem a garota saber que está na trama. Bons tempos, eu diria. Acho que foi daí onde tudo começou.


Sabe aquele lance de complicada e perfeitinha que uma outra musica um dia disse, lá na década de 90? Pois é, pura balela, pelo menos para o que vivi. Apesar da catástrofe ter sido imensa, e as memórias dolorosas de um ato estarem sempre na sua mente, você procura seguir em frente.

Deve ser um saco, contar sempre a mesma historia para uma pessoa que já viu muito dessa cena, só que dessa vez com um elenco diferente, mas infelizmente é o que vivi. É engraçado, por que como um dia vi em uma das aulas de psicologia, especificamente nas aulas de psicanálise, que tendemos a escolher sempre o mesmo modelo de objeto de amor, e não é que é verdade.

Mas parto do seguinte pensamento. Já identifico que gosto de tal objeto, não consigo deixar de gostar, o que farei? Dá um jeito de lidar com isso, a vulga frase que ouvi de um professor de humanismo: Não importa o que fizeram com você, mas sim, o que você faz com o que fizeram com você.

Apesar disso tudo, me sinto atraído, por esse jeito tão diferente, ao mesmo tempo perigoso, e confuso muitas vezes, esse jeito complicado de ser. Qual seria o sentido da queda se não fazer- nos aprender a levantar, o que seria da dor e do medo, se não pudéssemos aprender a superá-los?

As vezes tudo isso é muito chato, cansativo, mas é o que faz aquecer o meu coração. A sina da dor entrelaçada com o prazer de está ao lado ou observando aquele que se tem algum afeto.
Amor não é algo tão comum assim e muito menos um ideal romântico, o romântismo é um ideal baseado no amor que não faz nenhum sentido se não faz sentido para aquele que sente tal coisa. Acho que não iram entender bem o que quis dizer ali, mas enfim.

Um amigo meu me perguntou uma vez, por que gostamos tanto das complicadas? E realmente é algo mais complicado ainda tentar explicar. Acredito eu, seja o interesse que desperta em cada um, vendo naquela pessoa o diferencial que não vemos em mais ninguém. O valor subjetivo, o afeto e a compreensão daquilo que não se pode dizer bem nas palavras, acho que é a grande chave desse interesse. Após isso, só sei que rimos e achamos graça do nosso próprio fardo (ou benção).

Há sempre pontos negativos, e que no fim vamos lapidando e descobrindo se é realmente tudo aquilo que nos atraiu, mas creio que, talvez, até o fim da minha vida, eu vá encontrar mulheres que possam ser assim, e outras nem tanto, mas nenhuma delas vão marcar tanto quando as ditas “complicadas”, é serio...

No corredor próximo de alguma esquina, eu vou sempre me lembrar dos momentos, e ver que a vida não é apenas viver por alguém e sem ela nada mais tem razão de ser, mas sim ver que um dia eu tive o prazer de viver e sentir a satisfação de te- la ao meu lado, independente do momento, por quê, querendo ou não, você escolhe os sentidos que dá para aquilo que sente, mas acima de tudo você irá sentir, a razão apenas mudará de foco.

Ah sim, já ia me esquecendo, a musica acabou, e a reflexão também. Pensar é assim, apenas as palavras fluem daquilo que se está interessado no momento, alguns colocam no papel, outros falam, outros simplesmente, pensam. E você, o que será que está pensando hoje, que faz você viajar por dentro de si mesmo? Fica a duvida no ar.

Até.

5 de abr de 2011

Eu sou

O sonho na carapaça envelhecida
A noite clamando a luz
O sentimento vivido em dramaturgia real
Eu sou o auto compreendido incompreendido
Eu sou puramente eu sem o cristão ver o que faz a minha outra mão

A sede de emoção, prezo em um mundo de desilusão
O guerreiro cego pelo seu ideal
O jovem sonhador
A beleza escondida em um armário
Eu sou aquele que não pode ver, mas precisa ter fé para pode enxergar
Eu sou a fera revestida de valor

O amigo pedindo amizade
A amizade clamando solidariedade
O ladrão que rouba pelos seus irmãos
Eu sou eu e você talvez nunca descubra como possa ser você
Eu sou eu, meio aleatório, mas cheio de sentido.

29 de mar de 2011

Prelúdio, A estação -1

Quente como o calor que paira sobre o deserto, ou simplesmente algo próximo do nordeste brasileiro, o dia nascia. Caminhos intermináveis até a estação, que naturalmente parecia está bem perto daqui. Vento na cara, suor escorrendo pelo rosto, esse é o clima da metrópole, mas nada que um ar condicionado possa reparar, e como faz falta em um momento desse.

Subindo até estação, encontro a velha rotina de sempre; engraçado como isso me lembra muito a vida rotineira do Japão, mesmo nunca estando lá para conferir a veracidade do fato, mas me guio pelo o que vejo. Estou ansioso, ela vai chegar em instantes, mas espero que nada seja uma ilusão, Douglas já me ligou inúmeras vezes para comparecer a uma reunião, só que nesse momento nada é mais importante que encontrar ela.

Após uns 15 minutos de viagem, me deparo com algo inusitado. O trem para subitamente, parece que aconteceu um acidente. Curioso como qualquer cidadão, vou tentar ver o que aconteceu e ficar a par da situação. Passando pelo mar de pessoas a minha volta, me esbarro em uma mulher que aparentemente está encostada perto da porta que dá saída ao próximo vagão. Não pude deixar de repara nas características delicadas porém de fortes traços estéticos, ela aparentava ter estilo, só que deixei isso pra lá, foi só uma observação e me dirigir ao caminho traçado a fim de suprir minhas necessidades curiosas.

Chegando lá, havia uma enorme aglomeração mas nenhum alvoroço, achei estranho já que isso é algo incomum de se ver. Quando percebi, nada havia acontecido. Não quis saber o por que mas tentei voltar para o meu vagão e me dá conta de que estava ficando atrasado para o encontro, odeio fazer os outros esperarem. Nisso alguém me segura pelo braço e estranhamente me olha nos olhos, como se fosse devorar minhas entranhas apenas com o que seu rosto apresentava a mim, me esforcei e sai do lugar, todos pareciam bem estranhos, como se conspirassem juntos contra mim. Foi então no momento que abri a porta a garota estava lá, mas impedindo minha passagem pela mesma, olhei para os lados e tudo parecia muito estranho, um ar de suspense e confusão pairava sobre mim.

Quando percebo meu celular toca, e tudo voltar em um lampejo como se nada tivesse acontecido, parece que estava sonhando e não percebi, era ela me ligando.

Estava atrasado 15 minutos foi o que ela me falo, e que já era hora deu está lá, por que já estava preocupada; olhei para os lados e só eu estava na estação, então rapidamente me levantei e sai. Nossa, que sensação estranha, parecia tudo muito real até o momento, corri logo para o taxi mais próximo sem me dá conta de imediato que a mesma mulher que estava nessa ilusão que parecia muito um sonho, ficava do outro lado da pilastra da estação, de cabeça baixa e ouvindo alguma musica. Não tenho tempo para pensar e associar isso, tenho que correr.

14 de mar de 2011

Mundo virtual, -0

Ano 2023, dia 14 de agosto, em uma hora qualquer. Plena sexta e eu aqui, preso na tela de um computador, coisa entediante e pacata. Chove muito, des que as catástrofes começaram a acontecer por esse lado do mundo; lembro-me uma vez quando tinha 20 anos que um dia tudo isso poderia acontecer, mas não poderia fazer nada a respeito, assim como a maioria das coisas da minha época, não fui um revolucionário, apenas queria ganhar meu dinheiro e viver minha vida. Muita coisa não mudou de certa forma de uns tempos pra cá, já que eu vivia esse contexto muito antes dele ser assimilado como padrão por 90% das sociedades globais.

O Brasil não é mais o mesmo, sempre disse a mim mesmo, a educação vai ruir esse pais, e foi o que aconteceu. Duas guerras civis, uma na região nordeste e uma no coração do Rio de Janeiro, o impasse econômico e a disparidade da sociedade só culminaram no que já estava para acontecer, se você tivesse a visão além da massa, no mínimo que fosse, você veria. Bem, o mar destruiu tudo que se tem noção de litoral, foi um choque pra minha mãe vê as coisas serem destruídas em questões de minutos, o que normalmente levaria tempo; o mau do brasileiro, acho eu, estaria no se acostumar e aceitar as coisas, devido a seus processos lentos e desgastantes, quando assim acontece poderia então ser muito impactante. Bem, foi ai que me mudei para cá, interior de São Paulo, próximo de uma das maiores megalópoles dos blocos econômicos.

Trabalho, é algo bem excessivo, mas com um determinado "conforto", já que as tecnologias, principalmente os gadgets, se tornaram simbiose nessa geração.

Isso é muito nostálgico e incrível ao mesmo tempo, só de pensar que tudo isso volta a mente apenas nos únicos momentos que não estou produzindo, em casa, ao lado da chuva. Eu me lembro da faculdade, quando os contextos virtuais iriam dominar praticamente tudo e novos ciclos e formas de expansão do relacionamento humano iriam acontecer e não regrediriam mais, em pensar que tudo isso começou do ponto mais inocente de todos, os jogos eletrônicos.

Querida, me desculpe por esse longo devaneio, mas eu precisava expor isso alguém. Sabe, é difícil conversar com alguém que não seja um cliente seu precisando de ajuda por problemas relacionados a uma das suas maiores paixões, a tecnologia; ainda mais quando a maioria das pessoas estão conectadas e interagindo no mundo das idéias, como diria o filosofo e minha professora na época de faculdade. Praticidade e objetividade as vezes deixa fugir detalhes, por isso eu tive que falar a respeito.

Espero te encontrar ao lado do parque , perto da Apple store Brasil, para o nosso primeiro encontro real, você deve está cansada ao receber esse email, já que do Japão para cá leva uns exaustivos 20 min. Se cuida e espero por você.

Beijos do seu amor, com carinho.

5 de mar de 2011

Por que você não pode me olhar nos olhos uma ultima vez?

1... 2... 2... 3... Fora de controle e além da percepção você me diz adeus. A única percepção que sobrou foi alguém chamando meu nome, que eu não sei ao certo se foi alguém. Na linha da loucura e do paraíso, uma ultima vez eu vejo seu rosto. Lagrimas são banais e evitáveis, já que o mais importante e contemplar em preto e branco, a arma engatilhando em direção ao ato, um ato aniquilador e suicida. Você poderia ter me matado quando teve a chance, quando tudo estava lindo como um cristal e frágil como um vidro. Por que você foi embora?

As sombras dos espíritos de amigos do passado me assombram, só por que todos me avisaram, que aquilo seria o precipício que eu cairia em algum momento. Cartas, emoções, delírios, precipitações, afeto... Quando tudo é emoção, o romantismo se torna algo doentio, e a melodia é a poesia mais triste. Um tiro de agonia, que poderia ser um mergulho de prazer, tudo por que você me deixou sem um ultimo adeus, sem um ultimo olhar, sem a ultima dose de pontecialidade.

Engraçado, já que tudo isso poderia ser jogado em você, mas mesmo eu sendo individualista, um lado samaritano aflora, e me odeio por isso.

Melodrama, tristeza, emoção. Tudo pela sua indiferença vil e cruel, que não me olha mais como antes, sem nenhuma arma de defesa ou resposta.

Seus olhos são profundos e intrigantes, mas a perda dessa memorável sensação parece que vai além do que posso compreender. A ultima cartada, o ultimo olhar, a ultima visão dos olhos que comeram o meu coração, a visão; tudo acabou.

19 de jan de 2011

Reminiscências de uma fase em linha progressiva


A muitos anos, fizemos uma promessa que tentaríamos ser os mesmo apesar das conseqüências e caminhos que nossas vidas tomariam. Perto do lago, eu prometi que nunca te esqueceria, muito menos deixaria de pensar em você e em todos que estão marcados nas veias e artérias do meu coração. Aquele sol em meio a um crespuculo as a versas, um clima meio frio, e o seu perfume a penetrar a minha cabeça como algo tão lindo, que pensei nunca existir algo semelhante, éramos jovens, todos nós, éramos tão jovens.

Cada um seguiu seu caminho em meio as próprias escolhas e desejos, o espírito vivo e a esperança de que tudo poderia dá certo. Uns foram para o sul, outros para o norte, eu preferi seguir até onde o sol se esconde, mas você preferiu ficar, e eu não me lembro ao certo o porquê você não quis vim comigo, talvez a apreensão de deixar aqueles que estão contigo dês de que nasceu, mas não a julgo por isso, você tinha um sorriso muito lindo naquele momento, que de fato, se congelou em minha mente.

Após tudo isso, as coisas não pareciam seguir o caminho que desejávamos, mas a fé em mim permanecia firme a nossa promessa. Com o tempo, paramos de nos comunicar e nos tornamos apenas conhecidos de um cyber espaço, contando apenas o que nos acontecia de supérfluo, incrivelmente me fazia ficar triste, mas não desanimado. As vezes a vida pode ser um bizarro destruidor de sonhos, mas faz a gente crescer de uma forma ou de outra, dependendo do sofrimento. Eu cresci, mudei algumas visões, de formas dolorosas eu até digo, mas outras de formas naturais e outras acredito que tenha sido pelo fato natural da biologia humana.

Investi pesado no que eu pensava e acreditava, mas os outros estão tomados pelo consumo do lucro e nas suas próprias vidas singulares, que cada vez mais fica difícil acreditar em alguém, e a vista das outras gerações me faz crê que elas estão decaindo, engraçado, meu pai pensava o mesmo da minha geração. Será que existe uma queda progressiva de geração a geração ou eu apenas estou ficando velho? Por enquanto não tenho a resposta, mas o sentimento da juventude ainda está e mim.

Tapas na cara, cortes no rosto, braços dilacerados, e alguns ganhos eu volto para te reencontrar e fazer honrar toda a nossa promessa e a de todos daquele momento. Me deparo com uma mulher, um pouco triste e de aparência conformada, e aparenta menos astucia e sagacidade da garota que um dia eu conheci, agora casada e mãe de três filhos. Espanto, mas curiosidade paira no ar.

Após uma conversa, percebo que aquela garota morreu com o tempo, se acostumou com a vida e fez-se crê que o mundo era simplesmente aquilo, não procurou nada mais além disso, só por que não quis sofrer, suas palavras se tornam mais simples, e o seu amor se resumiu a assistência de um lar, a sua assistência se resumia : Desista dessas coisas que não levam a nada.

E como receber um soco no estomago e vomitar todo o sangue que está contido nele, e ainda cuspirem em seu rosto e dizerem, vá para o inferno. As imagens se tornavam mais escuras e sombrias do que a beleza podia acalentar. Chorei em meio a um quarto desolado.

Resolve-se parti, onde não se existe mais aquele que conheceu um dia. Todos mudam, você mesmo muda, mas nem sempre são para melhor. Apesar de tudo eu permaneci firme e acredito que os outros também; bem pelos menos, eu um dia a amei mais que o seu marido um dia quis amá-la, apenas não soube disso e nem precisará saber.

Com muitas coisas mudando, nunca me deixo levar pelo o que não é verdadeiramente seu, apesar dos tapas, eu aprendi a seguir firme, mesmo com sonhos cheio de cicatrizes e feridas, mas sempre esperto, nunca se enganando que os próprios sonhos são o limite das minhas ambições, sonhos demais cegam até a mais pura das intenções.

Chega de remoer o que já não pode ser vivido, que não pode mais ser comprido. O certo a fazer é seguir em direção a um novo rumo, já que o limite da minha existência está o mais próximo da minha morte e esse não é o fim. De volta a luta com as lembranças bonitas daquele verão frio, vivas em alguma parte de mim. Adeus, para sempre.

Ps: Vou dá um tempo na escrita. Um tempo para ler mais coisas, estudar e ter mais idéias e melhorar o jeito de escrever. Até =]

10 de jan de 2011

Um modo nada convencional, um modo sincero.

Em uma longa estrada, até um tanto distante daqui, encontra-se uma garota. Simples neah? Até então... Inevitavelmente encontrando espaço no coração daquele que é difícil achar um lugar longe da chuva de seus sentimentos. Poucos conseguem, mesmo se tratando de uma aproximação até então recente, isso é formidável, diria esse tolo coração, que insiste em fazer o clichê de que a razão e a emoção não pode está em harmonia. O tolo do sentimento, visualiza-a como um alguém que é belo, que é carinhosa apesar da ausência de contato, que é meiga, que é comunicativa. A razão toma parte da situação, e diz que é uma garota especial e que não se deve fazer nenhum mal, e que sente o dever de protege-la de alguma coisa que não sabe o que seja.

Nesse páreo um tanto quanto chato e cheio de impasse apesar das concordâncias, entra uma terceira figura, a consciência, é dela então que sai o verdadeiro desfecho. Vocês estão errados, e são chatos demais para resolverem. Diz a consciência. A única coisa que se dever fazer é o que eu espero dizer a ela: Que eu daria todos os gritos e cantos desafinados, para implorar ao querido Deus que te traze-se para perto de mim, que eu pudesse beija-la enquanto seus lábios ainda estão vermelhos , que eu fosse a vitima do seu olhar penetrante dentro dos meus imparciais olhos castanhos. Sua presença fosse feita, mesmo sem nunca dizer que lhe amo, sem nunca realmente lhe prometer o céu, antes de poder existir um chão. A paixão é ascendente, mas nada que faça um conto de fadas enganar seu lindo coração. Mesmo com tudo isso, eu daria todas as minhas forças para poder ver o seu sorrizo, já que ele não é feito de forma vã e sim com um grande sentindo, sentido esse que não me pede nada em troca. Eu enrolaria e falharia minha voz, mas com a letra intacta de With me em minha cabeça, só pra fazer você ri da minha cara e me chamar de bobo e faria o calor da minha alma ter o prazer de senti a sua junto a mim. A todas essas imperfeições e nada convencionais valores, eu diria para finalizar: Esse sou eu, imperfeito e sem promessas, sem cavalo e sem espada. Esse sou eu, sem carro e sem músculos, esse sou eu, sendo eu, com um piercing na boca, querendo olhar pra você e dizendo: Ei mina, eu quero está com você esta noite e fazer você se sentir a garota mais especial do mundo, que nenhum outro príncipe conseguiu lhe fazer.

Esse sou eu, errado, defeituoso e cheio de manias, apenas pedindo para está junto a ti.

Capitulo 4

O irmão matou o seu parente mais próximo no ciclo de linhagem carnal de sua família. A maldição era pouca para aquele que um dia desejava ser o mais amado, apenas o que lhe restou foi arrependimento e dor, em um mundo que o condenava a cada esquina que lhe perpassava, como a lamina do mais astuto dos assassinos. Essa noite, não se encontra aqui a serpente, para pode dominar o seu coração de inveja e ganância, mas o que se encontra é um coração amargurado, velho e sedento de rancor.

Mate, é sua única forma de sobreviver no mundo jogado para fora do ambiente mais suave e hospitaleiro que um dia foi chamado de lar. Para longe você irá, e não saberá para onde, apenas irá, vagará como as sombras vagam diante do sol e se consomem dentro da fria e escura noite, vá para onde os olhos daquele que te criou não o possa enxerga e perceber que fores um erro, apesar de ser mais triste para seus pais.

Envelhecer sozinho não seria um castigo digno, por que a ira do criador se pos perante você Cain, que até então não pode ser morto, ou será vingado sete vezes. No êxodo de sua peregrinação, nenhum ser poderá toca-lo, apenas aquele que mais irá te perturbar, que é a sua indigna alma de homem pecador. O primeiro dos grandes pecadores, o primeiro a tirar a vida de um dos seus semelhantes. Aquele que merece o capitulo 4 de uma historia, que se perpassa em criação, formação, admiração e depreciação.

Aonde chegará o seu tão amargurado coração oh, pai dos Assassinatos? Espero que não vá ao inferno, estão sedentos para mastigarem o seu coração infame e sua alma dilacerada.

1 de jan de 2011

End of 2010

Mais um ano terminou, e o sentimento vazio continua o mesmo em inconstantes subliminares de imperfeita consciência se está fazendo tudo certo, ou ao menos tentando fazer. Fogos, recordações, lembranças que não somem do coração. Minha alma parece que se resumiu apenas a minha existência, e o sobrenatural está um pouco esquecido, por que sinto tanta vontade de está em comunhão com algo que não sei se existe?

Meu conhecimento, minha vivencia, meu “eu”, estão sempre em conflito com o garotinho de 15 anos que amava as coisas do mundo após um logo período de tristezas, o que uma pessoa pode fazer ao seu frágil coração. Amizades surpreendem cada um, que fazem o rumo da sua vida seguir caminhos totalmente distintos, e até potencializar seu sonhos mais desejáveis.

O inocente perde espaço para o esperto, o sem compromisso cede para o produtivo assumir, tudo em uma salada extremamente mista. Capitalismo, sociedade, expectativa da pessoas, seu ego, suas feridas, seus sonhos, seus desejos destruídos, sua vida intacta, sua vida em pedaços, sua maturidade, sua infantilidade, a criança com o bom espírito que ainda existe em você e o adulto em que está se tornando, as vezes tudo isso é tão triste, que me faz entender por que muitas pessoas são infelizes nesse mundo. Gostos, promessas, desavenças, o ferido quebrando o puro, o puro se tornando ferido, no ciclo extremamente perpetuo, que nem na mudança da mente se tornaria possível reverter.

Todos os sentidos tradicionais se foram, e o verdadeiro sentido desse momento de virada são os das recordações da sua vida, que fazem você acorda e perceber que mais um ano se passou e parece que nada mudou, você apenas está ficando mais velho, e os bons e maus sonhos iram persistir em sua mente, como em um duelo de Deus e o diabo disputando que ganhará o prazer de ter a sua alma ao lado deles.

E mais uma vez, um ano novo se aproxima, permaneça firme, só se acha as respostas quando se procura, boas ou ruins, o fim das historias só se desvendam a partir desses pergaminhos perdidos durante o tempo, ao som de uma canção que soa como aquela que era a sua favorita em seu sublime estalo de vida, ou melhor, provavelmente, em sua juventude bela.

AddThis