10 de dez de 2011

Lapsos de Memoria, lapsos de inspiração

Estou aqui, frente ao papel e um cordel me veio do céu.

Olho para o lado, ah se foi, como foi, para onde viajou?

Esqueci, já não penso nisso, alias deu vontade de comer um misto.

Mordidas molhadas, faz pensar em comida, mas quem liga, outra sina me domina.

Corre, corre, antes que fuja de novo, o vento bate e olhar para janela me faz esquecer, por favor me mate!

Nada sai daqui não, nada, a não ser a caneta da minha mão, volto pro jogão.

Pensar em tudo novamente, ah isso parece ser legal, mas não seria tão formal? Ah já se foi, espera o próximo gritar um oi.

Musica acalma a alma, faz pensar, faz sentir, mas será que faz a força de vontade intervir e discutir com a preguiça?

Sinto que agora vai sair, nem que seja um pingo no "i", um sentido está querendo vir

Mas que nada, ele só quer graça, com a minha cara, ele assim acaba, de nada serve, no fim só vou achar graça.

Dormi cai bem, ali vem de tudo, mas no fundo, só me resta o mundo dentro do mundo e um gostoso sono profundo.

Boa noite idéias, me cansei de vocês, se escondam dentro mim, para que no fim, eu possa ir brincar em paz na casa do Joaquim.

Nenhum comentário:

AddThis