27 de mai de 2010

Esperança.... musicalidade

Para começo de conversa, esse post não é de intuito motivacional, apenas será de intuito reflexivo. Escrevi essa nota rápida, apenas para alertá-los, já que falarei de algo bem peculiar a esse âmbito, a esperança.

Uma das grandes incógnitas, se não uma das mais intrigantes, até hoje sem explicação causal ou de fácil sentido para muitos e a grande razão de existir para outros, a tal esperança. O quê é ter esperança? É acreditar em algo? E esperar por algo ou alguém? E sentir que alguma coisa pode dá certo? Pode ser tudo isso, ou qualquer um deles.

O que faz você perder a esperança? E a desilusão com o fato inquestionável e sem alternativa que possa acontecer sem o mínimo poder de mudança? E se desiludir com algum ideal, com algum fato, ou até mesmo, com alguém? Ou apenas você perde a esperança, por que não acredita em ilusões apenas na veracidade dos fenômenos pragmáticos e da lógica inquestionável?

E os músicos? Por que alguns deles escrevem tanto sobre isso, clamam tanto sobre isso? Se a vida de alguns vai de mal a pior? Não falo de esperança religiosa, ou qualquer parâmetro divino, já que nem todos compartilham da mesma fé, mas o que faz um compositor no auge da sua desilusão com a vida e a completa perda desse elemento misterioso, inerente a nossa existência, escrever tão bem sobre o mesmo? E paradoxal demais, chegando a ser fascinante.

O sonho de um musico por um futuro melhor, que comoveu gerações na década de 60, foi dissipado em migalhas por alguém que se dizia ser um fã, onde a revolta tomou conta da multidão. O poeta do pendulo, que ficou extremamente chocado como a sua companheira de banda que tratava seus amigos de longa data de maneira tão superficial, fazendo a sua fama a seduzir e esquecer quem realmente à colocou lá, fez uma musica esplendorosa.

E você, o que pensa sobre a esperança? Ou melhor, o que pensa sobre todo esse contexto?






Não consegui a musica The Poet and the pendulum completa, então é só uma parte dela que no total são 13 minutos.


Um comentário:

Anônimo disse...

Nossa a coisa mais difícil é tentar entender sentimentos(essas coisas tão abstrata)e ter uma definição...Cada cabeça sua sentença mas pra quem tá de fora julga muito fácil mas pra quem vive a situação...com seus medos,opniões e incertezas talvez ñ seja tão simples...
Mas parece que todo mundo tem que acreditar em alguma coisa ou em alguém como se fosse um sentido que desse a sua vida ou um porto em que se sentisse protegido,compreendido e aceito.... e assim pudesse seguir sem medo como se fosse a certeza que no final tudo daria certo.Afinal a esperança é a última que morre...(nossa que glichê...)

AddThis