5 de abr de 2010

Futuro...




Lentes me focam nessa ilusão de segurança ao redor de uma porta entre aberta. Como diria Freud, interpretando meu sonho, seria aquele o meu futuro não tão distante, bate uma ansiedade tremenda, se bem que o tal sonho não é tão turvo para mim, já que, o faço acordado. Pensar me traz dor de cabeça, ainda mais se estou em uma situação confortável, mas é preciso, a lógica bate nessa porta desesperadamente. Saindo desse comodismo de maneira sofrida percebo que, preciso dá mais de mim, que o quê faço não é o suficiente para atender meus objetivos, conheço minhas fraquezas, mas minha pratica está fraca. O mundo das idéias nunca me foi  tão intenso como  nesse momento da minha vida, só que parece que cada vez mais migro para lá, abandonando meu corpo como um casulo no mundo das coisas sensíveis. Não posso fazer isso! Quem vive só de idéias, vive só de imaginar, e nunca os realizará, é preciso está entre a paralela entre essas duas linhas, e preciso fazer isso agora.

Acredito que consigo visualizar com clareza, alguns pontos turvos nas linhas psicológicas, e parece que esse foi mais um ponto para a comportamental, sei que devo mudar, mas meus comportamentos continuam sendo reforçados e a resistência é maior. Apesar de dá um credito para ela, eu tenho um espírito humanista, e diga-se de passagem rebelde, vou achar meu meio, vou me esforçar e quebrar-los um por um, espero que eu não consiga fazer tarde demais, ainda a porta está fechada me esperando até o horário marcado em algum lugar no tempo não tão distante.

Resto do Post

Nenhum comentário:

AddThis