9 de out de 2010

Tropa de Elite 2 - Indignação, a ultima esperança


Bem, em pleno sábado fui assistir o filme mais esperado pela população brasileira, ao meu humilde ver, o dito cujo, tropa de elite 2. Não vou falar muito de como é o filme, não de forma critica, por que, ser critico de cinema não é bem minha praia, mas vou falar do que o filme me passou.

O filme escancara de tal forma a enorme corrupção que se encontra em meio a esse imenso pais, e ainda de forma mais pertinente, em meio as eleições. Após assistir, meu pensamento sobre política, se tornou cada vez mais repugnante, e sem interesse do que antes, mas há um porém. Por não gostar tanto de política e de como o sistema de eleição funciona no Brasil, que por sinal você é obrigado a votar, onde se encontra na contra mão do ideal de democracia, me fez querer conhecer mais da mesma. Política é o que move essa nação, quer nós queremos isso ou não. Sentar em frente à TV e assistir um programa eleitoral, nem que seja para passar o tempo, é de veras chato, sabe por quê? Porque não ligamos para o que eles dizem (em um contexto massivo de opinião não generalizante) o que queremos saber, é se vai beneficiar a mim, os outros que se danem. Tudo não existe por acaso, está tudo interligado em intricantes situações, queira você chamar de "o bem" ou de "o mal", que se entrelaçam em conseqüência para todos, sem nos darmos conta de que pensar só em si, fode todo o sistema que não nos beneficia, que esse sistema mal desprovido, vai foder o bem aventurado. E meio que lógico, mas não muito perceptível, para os olhos daqueles que não se importam e não sabem por que se importam, simplesmente não se importam , ou para os outros que não tem o devido conhecimento de se questionar o por que devo aceitar tal coisa.

Para mim, nada mais democrático do que não eleger aquele que eu não quero que esteja lá, mas só tenho essas opções, então opto por votar branco, que foi o que eu fiz. Claro, como qualquer brasileiro, penso em meus interesses pessoais , mas me toquei, de que pensar pelo pais, não de forma nacionalista e romântica de amor pela nação, mas sim pensar que aquilo que eu escolho, afeta a todos que estão a minha volta. O que pode ser negado para um, e não damos à mínima, acontecerá conosco e os outros também não daram a mínima.

Tropa de elite deixa claro, que o nosso pais precisa mudar, mas não de forma imediatista, mas de forma progressiva, por que em quanto existir ratos no meio da lixeira, existirá alguém que queira limpar tudo isso, não por valores pessoais, não por um ideal, mas sim, por sentir que aquilo não é o melhor caminho, que aquilo não deveria ser daquele jeito, simplesmente por que, aquilo é " o mal".

2 comentários:

Deby disse...

Muito bom seu post Emerson, so me falta ver o filme para comentar melhor...

kidoçura banqueteria disse...

apois asisti o filme minha idgnação foi imediata ,com toda essa sujeira que corre pelo o nosso pais ,agora peço melhor em quem votar

AddThis