21 de out de 2010

Subscrito no sentido


Por que as pessoas nos julgam tanto pelas aparências? Não, isso não é um texto clichê de alguém revoltado com isso, ou talvez um tema de adolescente que se indigna com as pessoas o julgarem pelo o que veste ou escuta, se bem que hoje em dia isso se caracteriza pela moda de coloridos, que acredito que não deva fala sobre isso. O que me refiro é a esse tipo de situação: Você não tem cara de que escreve essas coisas, você não tem cara de que faz tão bem isso, você não tem cara que diria tais coisas, você não tem cara de ser legal e etc. Isso que me fez pensar.

Tipo, então tudo nessa vida tem um padrão específico que faça você seguir uma linha pré determinada de ações que vão fazer você se tornar aquilo que aparenta ser? Ou nas historias, que dizem padrões de comportamentos que tais estereótipos devem ser ou algo implantado através de filmes e novelas, que nos fazem crê que todas as pessoas que pareçam com aquele padrão, serão necessariamente assim, e quando não são, parece que dá um choque no nosso córtex cerebral e você fica besta e diz a típica frase: Nossa, você não tem cara de que faz "X" coisa.

Tem aquela linha de determinação também, você estudou em escola publica, você enrolou na escola toda, você não tem boas chances de ser algo, por que provavelmente isso não mudará. Ok, mas há uma chance de mudar sim, refazer tudo e correr atrás dos anos perdidos. Mas geralmente pelos fatos consumados da experiência, isso também ganha força.

Por que não conseguimos olhar para as pessoas, sem esse padrão internalizado e estereotipados? O que há de mais em uma pessoa cheia de tatuagens, piercings, ser tão culto e intelectual, quanto um professor de faculdade? O que há de mais em alguém que goste de musica popular, estilo massificado, e ser um cara que aprecie coisas underground e de real valor? A consumação dos estereótipos e tão forte que nos deixamos levar pela maré e simplesmente ficamos no automático, que muitas vezes somos levados a desconhecer pessoas interessantíssimas por causa desse mal. Eu fico meio que indignado com tudo isso, apesar de que seria hipocrisia dizer, quem eu também não faço isso, porque faço, mas não com tanta freqüência.

Isso é também mecanismo de defesa para selecionar as coisas, e preservar o nosso ser de algo que possa nos fazer mal, nos prejudicar, coisas nas quais temos no que nos identificar também, mas o grande mal de todo o comportamento estaria na arte de se deixar levar, e esquecer que o importante, mesmo em uma geração "tudo pronto", é pensar.

Um comentário:

Anônimo disse...

Engraçado que umas das definições para "aparência" no dicionário são: fingimento, disfarce, ilusão. Algo, que soa perfeitamente com a realidade pois, nos deixamos levar pelo estereótipo da sociedade que muitas vezes é confudido com a personalidade. A aparência para alguns não passa de uma modinha ditada pelo momento e que acreditam estar ligado diretamente com a personalidade, o que torna tudo uma ilusão pois, vc subjectivamente constrói uma imagem totalmente estereotipada sua que não tem nada haver com o seu verdaeiro "Eu", baseando-se em uma roupa, em um tipo de cabelo, em algum desenho no corpo. Muitas pessoas usufruem desse método para construir um "Eu" exterior totalmente diferente do "Eu" interior, o que torna a aparência um paradoxo entre a alma e o corpo. E os que se deixam levar apenas pelo contato visual nunca vão enchegar a verdadeira aparência da alma.

Ass: F£nRir =D

AddThis